Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Memórias dos Pupilos

Aqui vou registar as lembranças, boas e más, dos meus tempos de aluno dos Pupilos do Exército para as partilhar com os leitores. São, também, para os actuais alunos se quiserem conhecer velhas experiências...

Memórias dos Pupilos

Aqui vou registar as lembranças, boas e más, dos meus tempos de aluno dos Pupilos do Exército para as partilhar com os leitores. São, também, para os actuais alunos se quiserem conhecer velhas experiências...

Os ideais são poucos e distorcidos...

 

Tenho recebido, no meu computador, as mensagens que transcrevem o que se vai colocando no Forum Pilão XXI.

 

O menos que posso dizer é que me sinto triste com o que por lá se escreve agora, pouco depois da «borrasca» originada por uma feliz intervenção do meu velho Amigo António Trancoso! Triste por ver ao que chegou um forum cuja finalidade era, quando foi criado, elevar e debater os ideais dos antigos alunos de forma a encontrar uma «saída» correcta e digna para a situação em que se pretendia colocar o Instituto. Queriam fechá-lo à míngua de inscrições.

 

Foram lindas as disputas ali travadas, cada qual batendo-se pela melhor ideia, aquela que julgava salvadora de uma morte anunciada. Esses ex-alunos foram-se calando, estafados de gastar os neurónios e os ideais.

 

O que resta? Uns oportunistas que fazem do forum local de encontro para tratarem de governar a sua vidinha, anunciando este e aquele produto, esta e aquela oportunidade, estendendo a mão com um currículo cheio de pouco ou nada na esperança de conseguirem um trabalho. A isto está reduzido o forum. É um montão de «pedras soltas» sem história, nem glória.

 

Isto, olhado friamente, quer dizer uma só coisa: os ideais foram-se embora e ficou o oportunismo. O Pilão vai inexoravelmente fechar as portas dentro de poucos anos, porque não há ânimo nem vontade, por parte dos ex-alunos, para se formar uma verdadeira barreira de oposição. Não, cada um quer governar a sua vida ou fazer de conta que está ainda a lutar por uma causa já há muito perdida.

 

É uma causa perdida, porque o «golpe de rins» necessário para salvar a Casa tinha de ser dado dentro dos muros do convento de S. Domingos. Era preciso que os alunos se enchessem de brios e procurassem ser melhores estudantes alcançando resultados espectaculares de modo a, quase miraculosamente, passarem da vergonhosa posição que ocupam no ranking das escolas nacionais para virem colocarem-se nos lugares cimeiros. Mas isso não acontece, porque ninguém lhes diz a verdade. A verdade nua e crua: vocês valem muito pouco como alunos e como estudantes e não é com campeonatos de esgrima, florete, bisca lambida ou jogo do pau com os ursos que se fazem notar no plano nacional. Não. Só conseguem fazer-se notar quando todos, mas todos mesmo, quiserem ser os melhores alunos de Portugal.

 

Ninguém lhes diz isto, porque não é «politicamente correcto», porque ninguém quer admitir que a escola que começou, em 1911. destinada a dar profissões humildes, mas honestas, aos seus alunos acabou por se tornar num estabelecimento de ensino exemplar no fim da primeira metade do século passado. Era exemplar, porque os alunos que por lá passavam tinham uma excelente formação profissional, técnica e cívica. Acima de tudo cívica, pois haviam interiorizado princípios de disciplina, trabalho e educação social.

 

O forum é o espelho do Instituto: um cadáver a viver os últimos instantes de vida útil.

Ainda há uma muito fraca luz ao fundo do túnel, mas apagar-se-á se não tivermos a coragem de encarar de frente a verdade e fazer que, efectivamente, Querer seja Poder.

1 comentário

Comentar post